, , | prof. rubens sautchuk jr.
31 ago, 2016

Autocinese e Damon Lip Bumper Effect

O caso a seguir é um tratamento relativamente simples: classe I dentária, apinhamento primário na maxila e mandíbula, fase de crescimento finalizada e sem comprometimento importante do perfil (considerando a etnia do paciente). O que faz deste caso um tratamento interessante é a maneira como o controle de vestibularização associado ao desenvolvimento transversal da maxila funcionam na mecânica Damon. Vejamos as fotos iniciais:

RubensAutocinese_1RubensAutocinese_2

Note na foto lateral direita que os caninos estão tendendo a uma classe II, porém não é necessária uma mecânica específica para esta correção, basta a colagem correta dos braquetes para acertar a angulação de ambos que a chave em classe I ocorrerá na sequencia do alinhamento e nivelamento.

RubensAutocinese_3RubensAutocinese_4

A linha média inferior é a correta (coincidente com a sagital mediana) e a superior está 1,5mm desviada para a direita. Como não há assimetria intra-arco na relação dos caninos superiores (abordaremos este assunto mais detalhadamente num post específico sobre assimetrias intra-arco), também não precisamos nos preocupar com uma mecânica específica para a correção da linha média superior. O próprio alinhamento e nivelamento se encarregará disso, uma vez que o apinhamento é o responsável pelo desvio da LM superior.

RubensAutocinese_5

Com 4,5 mm de apinhamento para a maxila e 4,0 mm para mandíbula + 1mm de consumo de espaço pela curva de Spee, o alinhamento e nivelamento só seria possível com desgastes interproximais, para o caso de um tratamento com a mecânica convencional. Do contrário teríamos um excesso de vestibularização dos incisivos com uma série de outros efeitos colaterais mecânicos, biológicos e para o perfil. Porém, este caso foi tratado com sistema autoligado passivo, braquetes Tellus EX – Eurodonto – prescrição Damon Standard e arcos Cooper-Niti Damon arch form, descartando os desgastes proximais.

RubensAutocinese_6RubensAutocinese_7

No sistema autoligado passivo a força exercida pelo arco é menor que a força de repouso que o lábio superior exerce sobre os incisivos superiores (nos casos de função labial normal). Desta forma o controle de vestibularização é realizado pela função labial do paciente. Este princípio foi nomeado de Damon Lip Bumper Effect. A partir deste controle anterior dos incisivos superiores, baixíssimo atrito dos braquetes, e força extremamente suave e controlada entregue pelos arcos específicos, o apinhamento é dissolvido a partir do desenvolvimento transversal do arco dentário. Ou seja, o processo alveolar tem ganho de perímetro total (notadamente no sentido transversal) sem o descontrole da inclinação dentária posterior, nem anterior. O desenvolvimento transversal guiado pela função oral faz parte de um princípio conhecido no sistema Damon como autocinese.

Baseado nestes princípios, a mecânica proposta foi apenas de alinhamento e nivelamento com os arcos e sequencia padrão da mecânica Damon. Em seguida a individualização e finalização com arco pre-posted aço 019×025, num total de 6 consultas e 12 meses de tratamento.

RubensAutocinese_8RubensAutocinese_9

RubensAutocinese_10

Observe abaixo o desenvolvimento transversal comparado com o início do tratamento a esquerda:

RubensAutocinese_11RubensAutocinese_12

Note o controle de vestibularização dos incisivos superiores e também a manutenção do angulo nasolabial antes e depois do tratamento:

RubensAutocinese_13 Inicial

RubensAutocinese_14 Final

Visite a página Damon In Office e se informe sobre nossos cursos de capacitação em ortodontia

Voltar Voltar