| cláudia d.f. bellani
13 jul, 2017

Ginástica Laboral I

Fotolia_132184820_Subscription_Monthly_M

Em sua dissertação de mestrado, Coelho da Silva, 2003, relata que os problemas posturais sempre foram motivos de muitas reclamações por parte da classe odontológica. O método estático e altamente repetitivo da prática profissional não permite uma maior movimentação e tem a desvantagem de exigir sempre a contração dos mesmos grupos musculares e a utilização das mesmas posturas acarretando em intensa sobrecarga física, cognitiva e psíquica em tais profissionais.

A ginástica laboral, aliada à ergonomia, vem apresentando-se como uma solução para lidar com as graves consequências desse contexto.

Mas o que é a ginástica laboral?

A ginástica laboral é uma sequência de exercícios físicos diários que visa normalizar capacidades e funções corporais para o desenvolvimento do trabalho, diminuindo a possibilidade de comprometimentos da integridade do corpo. Pode ser realizada em grupo ou individualmente, e é uma grande aliada na prevenção das doenças ocupacionais.

Quando realizada em grupos deve ser supervisionada ou dirigida por profissionais da Educação Física ou Fisioterapia, e muitos centros odontológicos já se utilizam desta ferramenta para melhorar a saúde de seus profissionais, já que ela está relacionada com a diminuição do absenteísmo, além fortalecer as relações para o desenvolvimento de trabalhos em equipe e aumentar a produtividade.

A ginástica laboral pode ser dividida em três fases, de acordo com seu horário de aplicação, em:

Preparatória ou de aquecimento: Deve ser realizada antes da jornada de trabalho por, aproximada 10 minutos. Ela ativa fisiologicamente o organismo para as tarefas laborais físicas, melhora o nível de concentração e disposição, eleva a temperatura do corpo e a oxigenação dos tecidos, faz a liberação de endorfinas e aumenta a frequência cardíaca. Tem a função de prevenir acidentes, distensões e distúrbios osteomusculares e ligamentares, ao preparar o organismo para atividades de velocidade, força ou resistência, comuns na prática profissional do dentista ou cirurgião.

Compensatória ou de distensionamento: É aquela realizada durante a jornada de trabalho, em pausas de 5 a 8 minutos ou micropausas de 30 segundos a 1 minuto. Sua principal finalidade é distensionar e compensar todo e qualquer tipo de tensão muscular adquirido pelo uso excessivo ou inadequado das estruturas musculoligamentares, preparando o trabalhador para melhor cumprir e executar o seu trabalho com consequente aumento do seu rendimento profissional. Partindo desse ponto de vista, fica claro que em um programa de ginástica laboral compensatória é necessário fortalecer os músculos mais fracos, ou seja, os menos usados durante a jornada de trabalho, além de alongar os mais solicitados, proporcionando, dessa forma, compensação dos músculos agonistas para com os antagonistas de forma equilibrada.

Tem por objetivo: melhorar a circulação, com a retirada de resíduos metabólicos; modificar a postura no trabalho; alongar os músculos sobrecarregados; reabastecer os depósitos de glicogênio; e prevenir a fadiga muscular. Pode ser realizada através de exercícios de alongamentos, flexibilidade, posturais e respiratórios.

Relaxamento: Realizada após a jornada de trabalho, com uma duração de aproximadamente 10 a 12 minutos. Objetiva reduzir o estresse, aliviar as tensões e reduzir os índices de desavenças no trabalho e em casa, preparando para função social pós-trabalho. Proporciona calma e relaxamento, pela diminuição de resíduos metabólicos, como o ácido láctico, por exemplo. Nesta fase são bem vindos exercícios de automassagem, alongamentos, flexibilidade e respiração.

Saiba mais em:

Ginástica laboral aplicada à saúde do cirurgião dentista: um estudo de caso na Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis – SC, disponível: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/85313/202343.pdf?sequence=1

http://few.universoef.com.br/container/gerenciador_de_arquivos/arquivos/66/ginastica-laboral-na-promocao-da-saude.pdf

 

Voltar Voltar