| cláudia d.f. bellani
23 out, 2017

Lesões Musculoesqueléticas, e se a dor aparecer?

Como já falamos, a longa jornada de trabalho associada aos movimentos repetitivos próprios da técnica laboral do cirurgião dentista, por si só, já são fatores de risco para o aparecimento das temíveis lesões musculoesqueléticas.

E se mesmo com os cuidados preventivos de ergonomia; pausas associadas aos alongamentos e, manutenção de hábitos saudáveis as dores aparecerem?

Antes de mais nada, a identificação das causas e dos fatores que perpetuam a dor e o primeiro passo. Será que há necessidade de rever a ergonomia do seu consultório? Os períodos de descanso em consultório estão sendo bem aproveitados? Como anda a sua saúde de maneira geral? E o estresse?

Fique atento, pois os primeiros sintomas costumam ser de dor localizada ou sensação de peso, principalmente na coluna cervical e nos membros superiores durante as atividades laborais e, que costumam melhorar com o repouso.

Com o passar dor tempo, os sintomas podem ficar mais intensos, com restrições nas atividades diárias podendo muitas vezes ser extremamente incapacitantes. Quando a dor fica persistente pode se tornar crônica e outros sintomas como cansaço, queimação e rigidez no corpo também aparecem.

Então, normalmente, a dor é o primeiro sintoma de que algo não está bem e desta forma se ela aparecer não hesite em procurar um profissional habilitado, para lhe dar um diagnóstico preciso e definir uma estratégia de tratamento individualizada, antes que a situação se agrave.

A dor musculoesquelética aguda por pode ser tratada com remédios, fisioterapia e exercícios leves. Já na dor musculoesquelética crônica, os melhores resultados serão alcançados no tratamento interdisciplinar multiprofissional, contanto com profissionais como fisioterapeutas, médicos e psicólogos. O trabalho em equipe tem se mostrado mais eficaz a longo prazo para o alivio da dor, retorno ao trabalho e as atividades do que terapias isoladas. Portanto, principalmente nos casos crônicos, vale o investimento no tratamento interdisciplinar.

Não esqueça, prevenir ainda é o melhor remédio!

Na sequencia vamos abordar uma série de estratégias de promoção em saúde, nas diferentes esferas de atenção!

Fique atento!

Voltar Voltar